Michelle Branquinho

Michelle Branquinho

Amor

Eventualmente, em nossas vidas, amamos e somos amados. Experimentamos o
amor de diversas formas em nossa vida. O amor é um sentimento que nos torna
parcialmente dependentes das pessoas que nos são mais próximas, ao ponto de,
se estivermos longe delas, nos tornemos altamente infelizes e até angustiados.
Mas como defini-lo?
Na Psicologia, o amor é definido como sendo, não simplesmente o gostar em
maior quantidade. É um estado psicológico qualitativamente diferente. No amor,ao
contrário do gostar, há elementos de paixão, proximidade, fascinação,
exclusividade, desejo sexual e uma preocupação intensa.
Um estudo revelou que os sentimentos amorosos podem levar à inibição da
atividade de várias áreas do cérebro ligadas à capacidade cognitiva e ao
pensamento crítico; suprimindo a atividade neurológica relacionada com a
avaliação social crítica dos outros, e também das emoções negativas. Interessante
como isso mostra porque o dito popular: “o amor é cego”, é tão frequente em
nossas vidas. Por isso, tendemos a idealizar o parceiro, exageramos nas
qualidades dos nossos filhos, e rejeitamos as características menos positivas
daqueles que amamos. Sempre enxerguei o amor como um sentimento que pode
ser construído ao longo do tempo e requer cultivo diário. E pra você, o que é o
amor?

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email