comunicação filhos
Michelle Branquinho

Michelle Branquinho

3 dicas para melhorar a comunicação com os filhos

Comunicação é um grande problema quando o assunto é criação de filhos, não é mesmo? Seja com os filhos pequenos ou mais velhos, comunicar com uma linguagem adequada, sem gerar conflitos não é uma tarefa fácil. No entanto, a proposta deste artigo é te mostrar que a comunicação não é um problema e sim uma solução para ter um relacionamento mais saudável e produtivos com os filhos, então vamos lá?

Em primeiro ligar, gostaria de enfatizar a máxima de que muitas vezes a comunicação com nossos filhos em qualquer faixa etária pode ser desafiadora. Atitudes cotidianas como falar com eles e automaticamente virarem as costas, opiniões contrárias, impostas e até mesmo um comunicação inexistente, sempre geram um grande desgaste em casa. No entanto, o que você não deve deixar de lembrar, é que através da comunicação surgirá um relacionamento agradável não só com os pais, mas com toda a família.

Por isso, este artigo busca trazer três dicas que poderão te auxiliar a estabelecer uma melhor comunicação e, além disso, aumentar o vínculo que possui entre você e seu filho. Vejamos:

Por que ter uma boa comunicação com meu filho?

A comunicação é uma das principais conexões entre você e seu filho, pois é através dessa atitude que podemos transmitir o afeto, carinho e também por onde esse vínculo pode ser fortalecido.

Assim, ter uma boa comunicação com a criança ou adolescente é essencial, pois isso influencia de forma direta na educação deles, facilitando a compreensão e a reflexão do que lhes foi passado, tornando o processo de aprendizagem mais leve e eficaz.

Cabe citar também que uma comunicação positiva em casa é a ponte para a comunicação com o mundo externo, pois os nossos filhos se sentirão mais preparados para enfrentar diálogos com diferentes pessoas e em diferentes cenários, a partir do que se é praticado no lar.

Ademais, a construção e estabelecimento desse vínculo que é a comunicação, levará a um fortalecimento da relação, o que é extremamente positivo, pois dessa forma, o seu filho terá mais confiança em lhe trazer aquilo que o preocupa ou o deixa feliz. Com isso, eles se sentirão mais confortáveis em se abrir, pois se sentirão acolhidos e até mesmo compreendidos, não havendo mais barreiras nessa comunicação.

Como reconhecer e derrubar as barreiras na comunicação?

As barreiras na comunicação é tudo aquilo que está impedindo com que a conversa flua sem conflitos e frustrações. Por isso, segue abaixo algumas barreiras que julgo importante identificar e remediar para que, dessa forma, haja a esperada melhora na comunicação de ambas as partes:

  • Barreira da humilhação – Colocar o seu filho em uma situação em que cause constrangimento, diminuindo a sua dignidade de alguma forma, o fará se sentir humilhado, dificultando um diálogo simples.
  • Barreira dos questionamentos excessivos – É normal da parte dos pais quererem saber da vida de seus filhos, mas fazer questionamentos excessivos pode causar um sentimento de desconfiança ou que você esteja querendo descobrir algo nas entrelinhas.
  • Barreira das ameaças na hora da raiva – Muitas vezes, a falta de comunicação é tão frustrante, que você acaba recorrendo a ameaças e intimidações, mas isso apenas causará o sentimento de medo, fazendo com que seu filho confie menos em você e se comunique menos.
  • Barreira das críticas – Assim como os questionamentos, as críticas excessivas são tóxicas para o relacionamento de pais e filhos, pois eles se sentirão inferiores e terão medo de que algo seja motivo de julgamento por sua parte.

Essas foram apenas algumas barreiras das quais consigo citar aqui e se você, pai e mãe, identifica algum outro causador de má comunicação com seus filhos, reflita e elabore uma solução que seja confortável para ambos os lados.

Dicas para melhorar a comunicação com seus filhos:

Depois de entender sobre as principais causas que podem gerar a falta de diálogo em casa, é importante refletirmos sobre como podemos melhorar as nossas atitudes em casa e tornar a comunicação mais leve e assertiva. Vamos lá:

  • Desenvolva o respeito com o seu filho – Você deve estar pensando: “mas quem deve respeitar é meu filho, não eu”. Essa concepção é errada, uma vez que os sentimentos e emoções da criança também devem ser levados a sério.

Em conjunto ao respeito, tente se colocar no lugar de seu filho e enxergar a partir da perspectiva dele, não apenas no momento de corrigi-lo, mas durante um simples diálogo. Tente não diminuir a opinião dele, mas sempre que for positiva, valide-a.

  • Tempo de qualidade– Todos estão tomados pela rotina do dia-a-dia, mas separe algum tempo para trabalhar o diálogo com seu filho; invista no tempo que vocês passam juntos. O importante não é quantidade, mas sim a qualidade do tempo. Chame-o para dar uma caminhada na praça, assista ao desenho ou filme preferido dele ou peça ajuda para preparar o jantar e, nesse tempo, puxe uma conversa simples ou conte algo sobre o seu dia. Pode até não parecer, mas eles precisam desse vínculo para se sentirem amados e pertencidos.
  • Desenvolva a escuta – Um dos pontos chave para uma boa comunicação é saber ouvir o outro, e o mesmo vale para a relação de pai e filho. Ouça o que o seu filho tem a dizer, esteja presente no diálogo, mesmo que você não esteja entendendo muito bem o que ele quer dizer e, se possível, estimule o ponto de vista da criança. Eles não querem ser julgados, apenas precisam de alguém que os ouçam sem críticas.

Tenho certeza que com essas dicas, o seu filho se sentirá mais seguro sempre quando quiser ou precisar contar algo, pois ele verá em você um bom ouvinte e sentirá confiança para se abrir. Dessa forma, vocês terão uma comunicação eficiente e confiante.

Trabalhando esse vínculo através da comunicação, os momentos mais duros de correção, serão mais fáceis de serem lidados, pois haverá a presença do diálogo e ambos saberão o limite do outro. Que tal colocar essas dicas em prática hoje mesmo?

Gostou deste conteúdo? Me mande sua opinião no meu perfil no Instagram (@psimichellebranquinho), vou adorar tirar as suas dúvidas e ouvir a sua história com seus filhos.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Fale conosco pelo Whatsapp