conflitos
Michelle Branquinho

Michelle Branquinho

Cinco maneiras de resolver conflitos em relacionamentos

Se você se mostrou interessado por este artigo, provavelmente você está enfrentando um período de conflitos em seu relacionamento, correto? A simples iniciativa de começar essa leitura já demonstra um ponto positivo: você reconhece que é necessário buscar caminhos para a resolução destes problemas.

Um grande número de pessoas reclama dos efeitos gerados pelos conflitos, mas não demonstram a real intencionalidade em resolvê-los. Com qual frequência você realmente senta com o seu parceiro (a) para compreender as causas de suas desavenças? Vamos começar com essa reflexão. Apenas apontar os problemas e se mostrar insatisfeito com o status atual do relacionamento, não possui o potencial de gerar quaisquer mudanças, muito menos aquela história de achar que a grama do vizinho é sempre mais verde, certo?

Afinal, comparações tampouco geram avanços. Ao contrário, apenas potencializam os desgastes em uma relação. Conviver a dois é sempre um desafio. Em determinadas situações as diferenças podem parecer ainda maiores. Cada um carrega uma bagagem própria, com seus gostos, princípios, costumes e visões de mundo. Estranho seria se não houvessem divergências.

No entanto, há um limite saudável para essas distinções. As causas de conflitos são extremamente variadas e podem ser quase infinitas. O propósito deste artigo não é listar comentários extensos sobre cada uma delas, mas conversarmos sobre estratégias eficientes para atenuar os conflitos gerados, que são os frutos de todas essas diferenças. Para isso, preparei uma lista com cinco atitudes que considero essenciais na hora de resolver conflitos entre casais. Simples, mas, sobretudo bem efetivas.

Vamos conhecê-las?

   5 maneiras para a melhor resolução de conflitos em relacionamentos:

  • Mostre que se importe com o bem-estar do outro – Muitas vezes a nossa natureza egoísta “dá as caras” nas relações. Afinal, é muito comum buscar aquilo que satisfaz os nossos interesses, vontades, além do que atinge as nossas próprias prioridades.

No entanto, quando essa tendência natural não é equilibrada, é fácil serem gerados estragos fortes o suficiente para atrapalhar a harmonia do casal. É primordial que nessa relação haja espaço para abrigar as necessidades das duas partes envolvidas.

Não há sucesso sem que isso seja verificado. No final, todas as partes ganham quando se atinge um estado no qual os indivíduos se sentem ouvidos e percebidos. Se for necessário, verbalize as suas dificuldades em voz alta para o seu parceiro, mas demonstre um desejo genuíno em fazê-lo se sentir bem na relação.

  • Focalize em resolver um problema de cada vez – Talvez, se alguém perguntar a você o que acredita estar dando errado em seu relacionamento, você sinta que nem saberá por onde começar a responder. Afinal, casais que vivem em constante estado de conflito, geralmente enfrentam resultados de um acúmulo extenso de pendências mal resolvidas.

A partir da minha experiência como psicóloga, especialista na área de relacionamentos, posso seguramente dizer que quem tenta resolver dezenas de problemas ao mesmo tempo, no final, não resolverá nenhum. Isso porque, como seres humanos, tendemos a nos perder no meio desse excesso de informações.

O que deve ser feito? Com clareza, procure compreender os principais motivadores dos conflitos. Veja o que cada um pode fazer para atuar no cerne do problema. Por exemplo, quase todos os dias vocês brigam por conta da divisão de tarefas domésticas, nesse caso, é prudente marcar com urgência uma conversa onde serão listadas as exatas divisões. Por outro lado, se o ponto central dos conflitos é o ciúme, esse deve ser o foco de análise do casal. Quais limites precisam ser respeitados? Como ambos se sentem?

  • Evite generalizações – “Você nunca escuta o que eu digo”; “Você nunca tem tempo para mim”; “Todos são mais importantes do que eu”; “Nunca pode me ajudar em nada”. Esses são alguns exemplos comuns de generalizações em relacionamentos. Você já se viu falando alguma dessas frases? Mais uma vez, destaco o papel de um diálogo bem construído.

Se você mantém essa relação, é porque é capaz de enxergar motivos que os fazem permanecer. Pelo menos essa é a premissa de um relacionamento saudável: desfrutar de mais ganhos do que perdas. Mais alegrias do que tristezas. O que de modo algum significa ausência de problemas ou crises, mas se trata de um relacionamento pelo qual vale a pena prosseguir a busca por soluções. O que quero dizer com isso? Evite sempre estar munida por acusações intermináveis, mas apresente soluções e comunique o que precisa.

Esses dois pontos estão diretamente relacionados com a quarta e quinta atitudes, as duas últimas de nossa lista para resolução de conflitos. Pronto para prosseguir com a leitura?

  • Se mostre disposto a caminhar para uma solução – Em um ambiente de conflitos, você precisa demonstrar que o seu desejo está inclinado para encontrar soluções, em oposição a continuar brigando. No limite do sentimento de insatisfação, observamos pessoas que disparam suas frustrações e acusações em uma velocidade impressionante, sem, no entanto, demonstrar quaisquer espaços para intervenções inteligentes.

Como adultos, é preciso ultrapassar a fase dos lamentos e estrategicamente adentrar o nível onde se avança para a resolução de problemas. Não abra mão de ser ouvido, mas não se agarre insistentemente ao orgulho e rigidez em suas opiniões. Talvez, o resultado final não será exatamente nos moldes que esperava anteriormente, mas com uma breve reflexão, verá que viver em meio a um ambiente tranquilo valerá as concessões necessárias.

  • Comunique seus sentimentos e necessidades com clareza – O quinto e último ponto da nossa lista diz respeito a uma habilidade que sempre gosto de repetir como a base para qualquer relacionamento: a comunicação. Mas, atenção, não é qualquer tipo de comunicação.

Me refiro a uma comunicação assertiva, não violenta, capaz de expor seus desejos e reflexões interiores. Dessa forma, não se espera que o parceiro (a) faça adivinhações, quase que em uma leitura de pensamentos, mas juntos constroem um ambiente onde as necessidades são reveladas, sempre bem às claras, como embaixo de um ponto de luz. O que está me incomodando? É comunicado. O que está me sobrecarregando? É esclarecido. Como gosto de me sentir valorizado? É bem explicado. Todas essas ações que, em conjunto, revelam a maturidade de um casal que vê no diálogo um instrumento de fortalecimento de vínculos e de harmonia.

Espero que esse artigo tenha feito sentido para você! Para acompanhar mais conteúdos sobre o tema, você pode me encontrar no Instagram (@psimichellebranquinho).

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Fale conosco pelo Whatsapp