solidao
Michelle Branquinho

Michelle Branquinho

Como acabar com o medo da solidão?

De acordo com o dicionário da Língua Portuguesa, solidão é o “Estado de quem está só, retirado do mundo ou de quem se sente desta forma, mesmo estando rodeado por outras pessoas; isolamento; tristeza”. Ou seja, a solidão é quando alguém se vê sem conseguir lidar com os conflitos do seu mundo interior e por isso, acaba optando pelo isolamento social de forma voluntária. No entanto, é possível verificar o isolamento social de forma involuntária, imposto na sociedade em caso de crises sanitárias ou guerras. Atualmente, vivemos algo parecido, certo?

Geralmente as pessoas que desenvolvem o medo da solidão são aquelas que apresentam o receio do abandono ou rejeição e por esse motivo, acabam abandonando os relacionamentos, afinal, não se sentem livres e seguras para amar e diante disso, se tornam presas a este sentimento. É um caminho contraditório que por vezes pode parecer sem saída.

O fato é que a solidão afeta quem realmente a pessoa é em totalidade, e ao longo prazo, é capaz de gerar graves efeitos. Mas, por que isso acontece e quais são os seus impactos na saúde? É notório que o medo, insegurança, tristeza e a instabilidade emocional interferem de forma direta no bem-estar do ser humano, o que facilita o desenvolvimento de doenças como estresse, ansiedade, depressão e até mesmo o pânico. Somos seres relacionais, precisamos do contato com outras pessoas, a ausência deste interfere na manutenção de nossa qualidade de vida.

O medo da solidão não é algo novo na humanidade, pois antes mesmo da pandemia era possível observar muitas pessoas com receio de ficarem sozinhas. Aliás, esse medo, acompanhado de insegurança e tristeza é mais comum do que imaginamos. No entanto, o medo exagerado da solidão se torna um dos grandes males da sociedade a partir do momento em que indivíduos não conseguem compreender que existem situações em que precisarão ficar sozinhos ou lidar com elas de maneira individual.

Uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia de São Paulo (SBGG-SP), realizada em 2017, evidenciou que o medo da solidão é o que mais impacta a vida dos idosos por exemplo, e isso acontece devido a três fatores: à perda de familiares e pessoas queridas; em função da idade; e também do fim natural da vida, seja pelo abandono por parte dos próprios filhos.

As causas para o medo da solidão podem ser variadas e atinge todas as idades, mas pode-se afirmar que na era digital em que vivemos, o temor é acentuado tanto pelo fato da maioria das pessoas usarem as redes sociais para mostrar os bons momentos da vida (o que transmite uma imagem irreal de como é seu cotidiano); seja pelo distanciamento físico motivado pelos meios de comunicação virtuais. Estamos conectados quase que 24 horas, mas de que maneira?

No contexto de pandemia, naturalmente o medo da solidão se agrava e atinge níveis extremos. Esse fenômeno é observado não somente entre as pessoas mais velhas, mas também entre adolescentes, jovens e definitivamente, até mesmo as crianças. As relações se tornaram mais limitadas e todas as faixas etárias ainda sentem os seus efeitos.

O fato é que o isolamento social, seja de forma voluntária ou involuntária (como é o caso da pandemia da Covid-19 instalada em 2020) pode trazer sérios prejuízos para os indivíduos e também para a sociedade, pois a falta de convivência e interação entre as pessoas, podem provocar sérios transtornos psicológicos que precisarão de acompanhamento profissional por muito tempo. Na atualidade, os efeitos se agravam ao se somarem com as mudanças bruscas geradas pela pandemia, como perda de empregos, crises financeiras e imprevisibilidade dos dias futuros.

O cenário é complicado, mas quais atitudes estão ao nosso alcance? Existem hábitos que são capazes de nos ajudar a construir uma postura positiva e nos ajudam a desenvolver uma aproximação saudável com outras pessoas. A seguir, separei algumas dicas de para ajudar você a acabar com o medo da solidão. Vamos lá?

  • Não se isole completamente de tudo e de todos:

É muito importante que a pessoa tenha os seus momentos as sós, em que é possível refletir e meditar sobre os diferentes aspectos da vida, mas tal reflexão não deve ser uma rotina ao ponto de não impedir outras conversas e interações. Por isso, o meu conselho é que ao se sentir angustiado, triste ou mesmo com medo, não adote a solidão como aliada, escolha a pessoa adequada para te ouvir neste momento. Dessa forma, você começará a se sentir melhor e o sentimento de incerteza irá passar de forma mais rápida.

  • Faça alguma coisa, seja útil onde estiver:

É muito comum ver pessoas que adotam a solidão por se sentirem completamente inúteis na comunidade onde vive. Isso acontece devido ao medo e a insegurança que a pessoa sente e por esse motivo o meu conselho é para que você esteja sempre ativo em atividades e ações que te dão prazer. Há muito a ser feito em nossa sociedade, inclusive com trabalhos voluntários em igrejas e organizações por exemplo, o importante é não ficar parado.

  • Esteja bem com você mesmo:

Para fugir da solidão é muito importante que a sua autoestima esteja bem e que você se sinta completamente feliz com você mesmo, pois dessa forma não terá espaço para o medo da solidão. Acredite: você tem muitas qualidades e há muitas pessoas que te admiram por isso.

  • Cultive amigos e hábitos saudáveis:

Essa é uma das receitas infalíveis para fugir do medo da solidão, pois manter o relacionamento com os amigos e familiares nos traz prazer, distrai a mente e nos faz felizes. Além disso, cultivar hábitos saudáveis, com uma boa alimentação e exercícios físicos te ajudarão a se manter longe do isolamento. Com a mente e corpo saudáveis e ativos, com certeza você diminuirá os espaços para incertezas e medos constantes.

  • Não viva do passado:

Muitas pessoas se sentem sozinhas por não viverem o presente. Estão sempre se lamentando, reclamando e murmurando acerca de situações que aconteceram no passado e que não foram bem resolvidas. Entenda: você não pode mudar o que passou, mas é capaz de escolher como viverá o presente. Por isso, faça escolhas que te ajudarão a ter uma vida melhor no futuro, esqueça o que já está no passado e, diante do que já aprendeu, faça diferente hoje. O momento social que estamos atravessando nos revela a importância de aproveitarmos cada instante.

Espero que com essas dicas, você comece a viver uma vida sem medo da solidão e que desfrute mais dos momentos junto com as pessoas que você ama! Viva o hoje com o que você já tem e desfrute do melhor das pessoas ao seu redor. Combinado? Se esse texto fez sentido para você, me envie uma mensagem no meu Instagram @psimichellebranquinho!

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Fale conosco pelo Whatsapp