dizernao
Michelle Branquinho

Michelle Branquinho

Como aprender a dizer não?

Talvez você esteja sobrecarregado com tarefas que não consegue cumprir, sua agenda pode marcar eventos nos quais você não precisaria estar presente ou ainda, tenha precisado abrir mão de um merecido tempo de descanso, já que se comprometeu em prestar um favor a algum conhecido. É claro que devemos estar abertos para exercer atitudes de prestatividade, mas quando este hábito ultrapassa os limites saudáveis (você sabe quais são os seus limites?) ele pode estar escondendo um sentimento que, se não bem observado, pode gerar sérios prejuízos.

Neste artigo você conhecerá as características do “medo de dizer não” e quais são os seus principais efeitos.

Por que alguém não consegue dizer não?

Harriet B. Braiker em seu livro “A síndrome da boazinha”, afirma que “quando alguém sofre da compulsão por agradar, sua autoestima está relacionada ao quanto faz pelos outros e ao quanto é bem-sucedida nisso”. A dificuldade em dizer não está muito ligada ao que chamamos de vício por aprovação, um impulso por sempre fazer o outro feliz e a aversão a possíveis rejeições.

Quem vive nesse ciclo de “entregar algo e receber aprovação em troca” está preso às expectativas alheias, que nem sempre são tão altas como a própria pessoa imagina que sejam. Os afetados por esse medo permitem que os seus próprios limites sejam desrespeitados, por acreditarem que evitar conflitos a qualquer custo seja o mais prudente a se fazer. A lista do que pode estar por trás deste comportamento é extensa.

Conhecer as raízes das suas próprias limitações é um passo necessário para começar a quebrar velhos padrões de pensamentos. Abaixo listei algum dos sentimentos mais comuns entre aqueles que não conseguem dizer “não”:

  • Dificuldade em impor as próprias necessidades e opiniões;
  • Resistência ao sentimento de rejeição;
  • Aversão a conflitos;
  • Complexo de inferioridade;
  • Necessidade em receber aprovação e elogios.

Ao ler estes 5 pontos se você identifica com a maioria deles, significa que você faz parte desta parcela da população que está refém do medo de dizer não e do peso de manter as expectativas alheias sempre “em dia”. São muitas as consequências que esse comportamento pode gerar, passando pelo sufocamento das vontades pessoais, concessões exageradas e até mesmo a dificuldade de executar as próprias tarefas e afazeres.

É importante destacar que se livrar desse medo não é priorizar uma vida egoísta e se colocar sempre no centro de todas as situações, mas aprender a reconhecer os seus limites e necessidades, afinal, pessoas felizes conseguem inclusive ajudar outras com mais êxito e leveza.

A seguir, separei mais 3 consequências principais e explico os seus principais prejuízos, para depois conhecermos as frases que ajudam a quebrar este perigoso ciclo.

 

Quais são as principais consequências?

1) Negligência de prioridades: Por colocar as necessidades de outras pessoas em primeiro lugar, antes mesmo de avaliar se o que está sendo requisitado pode ser encaixado em sua situação atual, as próprias prioridades deste “viciado em dizer sim” vão sendo inferiorizadas e em casos extremos e de longa duração, se tornam até mesmo esquecidas. O indivíduo, aos poucos, remove a si mesmo do centro de sua própria vida para dar prioridade as demandas que fazem mais sentido para terceiros. Aqui, não observamos exemplo de abnegação ou de generosidade, mas a incapacidade em delimitar os seus limites e de defender seus próprios interesses.

2) Sobrecarga de tarefas: Quem não consegue impor limites, facilmente verá sua agenda cada dia mais cheia, tarefas se acumulado e de repente, 24 horas parecem não darem mais conta do recado. Essa sensação é familiar para você? Se você precisa constantemente adiar as suas tarefas, ou fazê-las com uma qualidade inferior a que gostaria, provavelmente é o momento de repensar se as suas “afirmações” aos outros, que estão em um nível maior do que a sua agenda é capaz de comportar. Abrir mão de tarefas não é sinal de incapacidade, mas de sabedoria na gestão do seu próprio tempo e isso mostra que você é consciente das suas próprias limitações.

3) Dependência de validações externas: Uma das principais raízes do medo de dizer não é a necessidade em receber aprovações e elogios, que fazem o indivíduo acreditar que está no caminho certo, afinal, o nível de “aprovação pessoal” e de autoestima usa como termômetro a quantidade de elogios que recebe e a ausência de críticas ou conflitos. Este modo de análise é perigoso e pode gerar uma dependência intensa ao ponto de impedir que riscos sejam tomados, projetos novos sejam criados ou ainda, interferir na autonomia do indivíduo. Percebe como um simples “sim” pode acarretar em consequências ao longo prazo? Mais uma vez, aqui não estamos desconsiderando a importância da gentileza, mas um equilíbrio deve ser alcançado.

Que frases posso usar para aprender a dizer não?

“Eu gostaria de ajudar, mas não me sinto confortável em fazer isso. Se eu puder ajudar de outra forma, pode me avisar! ”

“Nessa semana eu já tenho muitos compromissos pessoais agendados, infelizmente não poderei ajudá-lo”.

“Estou feliz por ser chamada, mas não estou disponível no momento”.

“Não sou a pessoa mais adequada para te ajudar no momento, mas obrigado”.

“Sei de outra pessoa que pode ajudar você! Se ela tiver interesse, te aviso”.

Qual dessas frases faz mais sentido para você? Comece exercitando da próxima vez que surgir um pedido que não se encaixe na sua rotina ou que, simplesmente, não queira fazer.

Depois me mande o seu relato de como se sentiu ao fazer isso no meu Instagram @psimichellebranquinho!

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Fale conosco pelo Whatsapp