pedir ajuda
Michelle Branquinho

Michelle Branquinho

Como superar a dificuldade de pedir ajuda?

Para muitas pessoas, pedir ajuda nem sempre é uma tarefa fácil. Mesmo vivendo em uma era onde os meios de comunicação estão muito presentes em nossa rotina diária, vemos muitos que quase não têm laços de profunda intimidade com outros, ao ponto de compartilhar os sofrimentos diários, falar sobre o que incomoda e pedir ajudar quando necessário.

A realidade é que muitos estão vivendo como máquinas, estampando sorrisos, cumprimentando uns aos outros todos os dias, falando que está tudo bem, quando na verdade a vida não está nada bem e de fato uma ajuda seria muito bem-vinda.

Somos seres sociais e relacionais e uma das vantagens é podermos ajudar uns aos outros em vários aspectos. A ideia deste artigo é te auxiliar a superar a dificuldade de pedir ajudar, descrevendo os principais motivos que podem levar alguém a desenvolver esse problema, além de listar alguns itens com ações diárias que colaborarão para mudar a sua postura diante dos problemas e das pessoas.

Barreiras para aprender a pedir ajuda

Antes de começar a aprofundar o tema, acho interessante destacar: atendendo em meu consultório, percebo que antes de buscar ajuda profissional, muitas pessoas buscam por socorro com familiares e amigos, que podem até ouvir os problemas e aconselhar, mas não possuem a escuta profissional assertiva para ajudar a mudar determinada situação.

Outro ponto importante que gostaria de destacar é que todos nós, em algum momento da vida, passamos por situações difíceis ou por circunstâncias em que precisamos de alguém que nos dê a mão. Assim, gostaria de deixar algo bem claro: pedir ajuda não é sinal de fraqueza, esse é o primeiro ponto.

Muitas vezes, assumir que tem um problema e quebrar a barreira do orgulho é o que precisa ser feito para mudar uma situação difícil, considerada complicada do ponto de vista de quem vive. Muitas pessoas enfrentam as dificuldades de forma autônoma, às vezes até preferindo falhar do que pedir ajuda.

A verdade é que aprender a pedir ajuda quando necessário é um ato de humildade e coragem. Entenda que o apoio do outro nos fortalece, aumenta nossas chances de vencer os obstáculos e alcançar nossos objetivos. Quando pedimos ajuda, rompemos com os nossos preconceitos e damos um voto de confiança para a outra pessoa.

Essa dificuldade em pedir ajuda, mesmo em situações angustiantes, pode ser motivada por diferentes razões, que bloqueiam o caminho e impedem a pessoa de avançar. Separei abaixo alguns motivos que podem levar uma pessoa a não pedir ajuda. O meu objetivo aqui é que você se autoavalie e repense se a sua dificuldade está em algum dos pontos a seguir.

No final deste artigo, apresento algumas ações para reverter esse quadro. Vamos lá?

·        Orgulho:

Como mencionei anteriormente, o orgulho é uma das principais causas por trás da dificuldade de pedir ajuda. Esse sentimento pode ser descrito como sendo a satisfação de alguém pela capacidade, realizações ou valor de si próprio ou de outros, por isso, o orgulho pode ser visto tanto como uma atitude moralmente positiva, como negativa, dependendo das circunstâncias. É por esse motivo que muitas pessoas culpam os outros pela falta de ajuda, além de fracassarem na tarefa. Por isso, sugiro que reveja como está o seu nível de orgulho, talvez seja ele o primeiro ponto que precisa ser cuidado.

  • Baixa autoestima:

O sentimento de baixa autoestima, está diretamente relacionado à dificuldade em pedir ajuda. Isso acontece quando a pessoa não se valoriza e omite as suas próprias necessidades em prol dos demais. Muitas vezes, a baixa autoestima se esconde por trás de altos níveis de autoexigência e perfeccionismo e, assim, pedir a ajuda de outras pessoas será interpretado como uma confirmação da sua inferioridade ou fraqueza. Reveja os seus pontos francos e avalie a sua motivação ao recusar ajudar.

  • Vitimismo:

Muitas pessoas não pedem ajuda e acabam colocando no outro o peso dessa ação que não é dela. Muitos chegam a pensar e a verbalizar: “ninguém me ajuda” “ninguém vê a minha dor”, só que se esquecem de pedir ajuda, não contam, não falam, mas criam expetativas e anseiam por ser ajudados, atribuindo assim a responsabilidade aos outros, considerando-os inclusive culpados por não ajudarem. Nesse caso, sugiro que reveja as suas atitudes e avalie as suas expectativas em relação ao outro.

·        Experiências negativas:

Nossa vida é uma contínua sucessão das experiências. Sejam elas negativas ou positivas, compartilhamos e sentimos, independentemente de como isso nos afeta. Talvez a pessoa tenha solicitado ajuda sem sucesso em uma ou mais ocasiões anteriores e não obteve um resultado positivo, ou ainda não foi suprida em sua total necessidade, houve uma decepção, e isso pode fazer com que a pessoa generalize essa experiência negativa e não peça mais ajuda. Assim, o meu conselho é para não use da generalização, pois “cada caso é um caso”, há pessoas e circunstâncias diferentes, onde a ajuda será muito bem-vinda.

·        Medo de rejeição:

O medo da rejeição pode levar a diversos comportamentos que nos fazem parecer inseguros, ineficazes, fracos e oprimidos. É por esse motivo que esse fator pode interferir de forma direta na dificuldade em pedir ajuda. Ao ser rejeitado, a pessoa começa a acreditar que os outros não querem e não podem ajudar e assim, desistem da ideia facilmente. Essa atitude acaba negando o direito dos outros de dizer não. Muitas vezes, a pessoa se mostra pouco compreensiva e fica insegura diante da possível recusa. Portanto, observe se o seu medo receio de pedir ajuda está ligada a rejeição e realinhe as suas expectativas em relação ao outro.

Você viu acima alguns motivos que podem levar a pessoa a não pedir ajuda. Agora, quero listar algumas ações simples e práticas, que podem te auxiliar no dia-a-dia nesse processo:

  • Saiba receber ajuda, não deixe que o orgulhe fale mais alto;
  • Fale do problema que você teme da sua necessidade;
  • Expresse-se com confiança;
  • Peça ajuda para a pessoa certa;
  • Confie no outro,em suas boas intenções e acredite que ele será honesto;
  • Seja generoso, agradeça a ajuda ou a intenção, mesmo que essa ajuda não seja eficaz na solução do problema;
  • Aprenda a ouvir não e entender as razões da outra pessoa;

Para ler e ver mais dicas sobre esse e outros assuntos, me acompanhe no meu Instagram @psimichellebranquinho. Me mande uma mensagem me contando como é a sua experiência quando sente que precisa pedir ajuda, quero ouvir a sua história!

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Fale conosco pelo Whatsapp