ansiedade
Michelle Branquinho

Michelle Branquinho

Dicas para lidar com a ansiedade de fim de ano!

Já sabemos que o Brasil é um dos países mais ansiosos do mundo, basta olhar os números divulgados por pesquisas da Organização Mundial da Saúde (OMS), que apontam quase 19 milhões de pessoas que sofrem com algum tipo de transtorno de ansiedade no país.

As causas para a ansiedade podem ser diversas e especialmente nos últimos anos, se agravaram devido ao contexto pandêmico. Mas hoje, estaremos falando sobre um tipo específico de ansiedade — aquela sentida em finais de ano. Se você está nesse artigo, provavelmente já a conhece bem. Nos próximos parágrafos, conheceremos estratégias para lidar com ela.

Pare para pensar nas mensagens que você recebe nas últimas semanas do ano e até nas rodas de conversas entre amigos. Provavelmente você verá algo em comum: preocupações com as contas que estão chegando, com os compromissos fixos de começo de ano, listas para rever o que foi feito, metas já começando a ser traçadas novamente. É um turbilhão de sentimentos e afazeres que em conjunto, costumam gerar sentimentos de angústia, preocupação e instabilidade.

Principais causas para a ansiedade de fim de ano

  • Pressões em ambientes empresariais, com o estabelecimento de metas e projetos a serem executados e necessidade de planejamento para os próximos meses;
  • Frustração ao verificar os objetivos que não foram alcançados no último ano;
  • Altas expectativas para o novo ano;
  • Preocupações com compromissos, compras de presentes e contas fixas de começo de ano;
  • Dificuldade em gerir o próprio tempo;
  • Sentimento de comparação ao observar a vida de terceiros;

Essas são apenas algumas causas que colaboram para o sentimento de ansiedade de fim de ano, talvez você se identifique com todas que foram listadas acima e nesse momento procure por alternativas que amenizem essa desconfortável sensação. Antes de prosseguirmos para as dicas de como lidar com esse problema, vamos para os principais sintomas observados:

Sintomas da ansiedade de fim de ano

  • Em alguns casos, podem aparecer sintomas físicos como suor excessivo, tremores, dores musculares, falta de ar, enjoos e dores no estômago;
  • Dificuldade de concentração e cansaço mental;
  • Pensamentos acelerados e desordenados;
  • Aumento de estresse e falta de paciência;
  • É possível que sejam observados os sentimentos de tristeza e desânimo.

No contexto em que vivemos, todos esses sintomas ainda podem se unir ao sentimento de saudade de entes queridos e de medo constante frente ao desconhecido. Os últimos anos destacaram a nossa falta de controle frente ao que pode acontecer, o que pode gerar pavor e instabilidade emocional em um grande quantitativo de pessoas.

Em relação às estratégias que podem ser usadas para lidar melhor com essa mistura de sentimentos, é válido destacarmos que o acompanhamento psicoterapêutico durante os meses do ano é fundamental para que, ao chegarmos no último bimestre, os sentimentos sejam expressos de maneira mais saudável e assim, consigamos receber novos estímulos com maior tranquilidade.

Como lidar com os efeitos da ansiedade de fim de ano?

  • Avalie os níveis de autocobrança: É comum olharmos para o que deixou de ser feito no ano que se passou, mas que tal parar por alguns instantes para valorizar o que você conseguiu realizar? Desempenhos perfeitos não devem ser a medida usada para avaliar a sua produtividade, mas se empenhe a valorizar os seus esforços.
  • Pare de olhar para o lado: A realidade de outras pessoas pode acarretar em dois efeitos distintos: inspiração ou comparação. Ao perceber que a segunda reação é a mais comum em seus dias, repense esse comportamento. Lembre que o que vemos da vida de terceiros é apenas uma parcela da realidade, e que pessoas diferentes precisam lidar com contextos diferentes. A comparação, além de injusta, costuma apenas gerar insatisfação, o que em nada colabora para o seu crescimento pessoal.
  • Foque nos aspectos positivos: Pensamentos geram sentimentos que, por sua vez, irão impactar significativamente em suas ações. Portanto, quando precisar olhar para a lista extensa de coisas que precisam ser feitas, lembre-se de que com organização e planejamento elas poderão ser realizadas. As responsabilidades precisarão ser cumpridas de todo modo, portanto, o seu posicionamento é o que fará diferença.
  • Qualidade acima de quantidade: Você não precisa fazer tudo o que não fez durante o ano todo em apenas algumas semanas. Aprenda a definir aquilo que é prioridade e depois de visualizar aquilo que é o mais importante, se concentre nas tarefas relacionadas. Será preciso dizer não para algumas coisas, para que você se concentre com mais efetividade naquilo que permanecerá em sua agenda.

Para conferir mais dicas, me acompanhe em meu Instagram @psimichellebranquinho.

Lá você irá encontrar mais conteúdos sobre organização e saúde mental!

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Fale conosco pelo Whatsapp